top of page
  • Foto do escritorAndré Possolli

Jardinagem para iniciantes

Ajudantes no combate à ansiedade e estresse, o cultivo e cuidado com a vegetação assim como outras atividades que exigem conexão, ajudam a mente a se concentrar no presente e a estar vivendo o momento. O contato com a terra traz benefícios energéticos e também à saúde. O cuidado com um ser vivo estimula os cinco sentidos, no tato a textura das folhagens, o olfato devido ao perfume que exalam, na audição pelo barulho do vento ou da chuva nas folhas, no paladar as frutíferas e hortaliças e claro a visão e a estética natural junto à um paisagismo.



Não ter experiência na área já não vai ser um problema. Hoje daremos 8 dicas para que você tenha sucesso com uma nova gama de folhagens saudáveis e que vão trazer mais vida para dentro da sua casa.


Iluminação



As plantas necessitam do sol para realizar sua fotossíntese, algumas mais outras menos. Na grande maioria dos apartamentos a incidência solar é de aproximadamente 4 horas por dia próximo à janela. Todas as plantas necessitam de claridade, as de meia-sombra por exemplo só não podem ficar expostas à luz solar direta principalmente nos horários entre 10h e 17h. Procure entender com um especialista as necessidades que cada planta escolhida apresenta.


Começar com espécies que exijam menos cuidados


zamioculca

Você está iniciando, reconheça isso e esteja aberto às informações que são fornecidas e principalmente de quem apresenta um vasto conhecimento na área. Comumente jardineiros iniciantes começam por plantas menores, o risco de esquece-las e não tomar os cuidados necessários é maior. Espécies de aparência mais delicada provavelmente vão exigir mais cuidados também. Opte por espécies com raízes mais grossas que tem mais chances de recuperação caso ocorra algo, como por exemplo a maranta, a comigo-ninguém-pode e a zamioculca.  


Entenda o espaço que você tem disponível


tumbérgia

Somado a incidência solar, deve-se levar em conta algumas outras condições climáticas do ambiente em que a planta vai ficar exposta. Por exemplo próximo a piscinas deve-se evitar plantas caducas, devido ao risco da perda de folhas com o vento, afetando assim a tubulação e filtro, assim como plantas com folhagens largas e compridas, pois rasgam facilmente. Para esse tipo de exposição principalmente em locais externos opte por tipos mais arbustivos e rígidos como a clúsia ou a tumbérgia.   


Plantas perenes e nativas



Apresentando um ciclo de vida maior que 2 anos, essas plantas mantêm caule e folhagens por várias estações, e suas raízes continuam crescendo e em desenvolvimento sob o solo. Em relação às plantas nativas, é muito interessante o ciclo que podem propor para um ambiente, por serem pertencentes ao ecossistema em que vão estar inseridas, sua adaptação é fácil e ainda colaboram com a regeneração de um ambiente urbanizado contribuindo para atrair insetos, aves e outros agentes polinizadores, reestabelecendo o ciclo natural local.


Continuidade na adubação



Não ache que após o plantio a planta não precisa mais ser adubada. Assim como seres humanos, plantas se alimentam e precisam de nutrientes diariamente. No seu habitat natural recebe folhas e gravetos secos, bichinhos mortos entre outros, que entram em processo de decomposição e alimentam a vegetação. No mercado geral de jardinagem você encontra adubos específicos com indicações de frequência de aplicação, é bem possível que você se depare com a sigla NPK. Esse termo devém de nitrogênio (N), fósforo (P) e potássio (K), todos esses compostos atuam no fortalecimento da vegetação, nutrindo a planta e mantendo a saúde e força.


Compreenda a necessidade de rega



As plantas apresentam diversos mecanismos de defesa contra o excesso e a falta de água. Se adaptam à ausência fechando suas folhas, criando espinhos e até mesmo pelos.  Quanto ao excesso, pode chegar ao estado de apodrecimento das raízes. A frequência da rega varia geralmente conforme a mudança das estações do ano e as especificidades de cada espécie. Como dito em textos e vídeos da Casa Das Plantas, um dos métodos mais eficientes é o “teste do dedo” para verificar se já está na hora de uma nova rega.


Tempo de experiência para cuidar de uma horta



É muito interessante o conceito de cultivar algo para o próprio consumo, alertamos só para a seguinte questão, hortas exigem um cuidado diário. Se você é uma pessoa que além de estar disposta a aprender o cultivo vegetal tem paciência esse é o cenário ideal.


Não hesite em pedir ajuda



Se sua planta apresentar sinais de que não está mais saudável não se afobe aumentando a rega ou a adubação. A internet está cheia de dicas, mas o recomendado é procurar a ajuda de um profissional que saiba como te orientar de forma correta. Lembre-se, o importante é tentar e se aventurar no universo das plantas.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page