top of page
  • Foto do escritorAndré Possolli

Como manter uma horta de PANCs

De diversas origens, seja silvestre, direto das matas ou florestas, até mesmo espontâneas que surgem em meio a um jardim, as PANCs cada vez mais fazem parte da alimentação mundial. De fácil cultivo, muito adaptáveis a diversos aromas e paladares, elas não precisam de adubo químico e colaboram para diminuição de impactos ambientais.


capuchinha
beldroega















Até hoje algumas ainda são tidas como pragas em plantações, o que pode ser uma precipitação caso você compreenda o manejo das espécies que podem contribuir tanto para sua rotina alimentar quanto com o equilíbrio ecológico do seu jardim. Antes de qualquer passo é importante saber identificar as espécies que são recomendadas para o consumo, pois existe uma parcela rica em oxalato de cálcio que pode levar a um quadro de pedra nos rins, por isso, caso você ainda não tenha consumido a espécie em questão, procure escaldá-la em água quente ou refogue.


erva-santa-luzia
ora-pro-nóbis


















Também é recomendado que não se pegue essas plantas em terrenos ou beiras de calçada, pois existe o risco de forte contaminação de poluentes como metais pesados, visto que a maioria apresenta fácil absorção dos compostos ao seu redor.


assa-peixe
peixinho











Um ótimo exemplo de redescoberta de como consumir plantas é a famosa alface, que antes era utilizada somente como planta medicinal e após muitos anos começou a ser consumida mundialmente em diversos pratos. Pensando também em pratos de salada é costumeiro sempre serem consumidas as mesmas hortaliças, o que significa que os nutrientes que seu corpo vem ingerindo são os mesmos. Sendo assim as PANCs ajudam a variar sua alimentação.


serralha

As mais conhecidas são utilizadas também como infusão, ervas aromáticas, entre elas a capuchinha, beldroega, erva-santa-luzia e a ora-pro-nóbis. A textura da espécie também vai te ajudar muito na hora de saber como utilizar a planta em questão na cozinha. Por exemplo espécies com folhas mais pilosas ou fibrosas podem ser empanadas, como a famosa “peixinho” e o assa-peixe. Para serem incorporadas em saladas ou sanduíches a serrallha e a azedinha.


azedinha

A grande maioria nasce de forma espontânea em meio as hortas, por isso são bastante regionais. A ora-pro-nóbis por exemplo que é amplamente consumida na região de Tiradentes, até ganhou um festival em sua homenagem lá, já em São Paulo não é tão renomada.


festival da ora-pro-nóbis em Minas Gerais

Agora que você tem os passos para começar sua própria horta de PANCs é hora de colocar a mão na massa e se deliciar com o universo de plantas que você vai descobrir.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page